Piscinas naturais do Porto Moniz com o dobro da afluência do ano passado

As piscinas naturais do Porto Moniz, no norte da ilha da Madeira, registaram até domingo 72.265 entradas, o dobro do ano passado, disse o presidente do município, justificando o número com a “maior afluência de turistas” ao concelho.
“Em 2011, até 31 de agosto tivemos 35.993 entradas, enquanto este ano, até domingo último, registámos 72.265 entradas, o que é mais do dobro do ano passado”, revelou Valter Correia, adiantando que o crescimento “dilui-se” em todos os meses do ano.
Segundo Valter Correia, os dados encontram explicação nos turistas que escolhem o concelho, destacando, neste caso, os estrangeiros, sobretudo franceses, e os madeirenses.
“O que nos dizem os operadores é que há menos nacionais”, declarou o autarca, realçando que o município manteve o preço de acesso às piscinas naturais, um dos cartões-de-visita do concelho, no valor de 1,5 euros para adultos.
Por outro lado, o responsável acredita que um dos fatores que tem contribuído para o aumento se prende com as condições meteorológicas.
“Não há memória de termos um ano tão soalheiro como este”, apontou Valter Correia, assinalando, ainda, que o complexo balnear ostenta a Bandeira Azul e é considerada pela associação ambientalista Quercus praia com qualidade de ouro.
O presidente do município destacou, igualmente, o facto de ter acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida.
“As piscinas naturais são, por ventura, na Europa, o complexo balnear com melhor relação preço/qualidade”, continuou o autarca, acreditando que o concelho, com cerca de 3.000 habitantes, está a ganhar com a crise e com a constatação de que os madeirenses “estão a fazer férias cá dentro”.
“Estou convencido de que esta situação está a obrigar os madeirenses a descobrir a Madeira”, declarou o presidente da autarquia, referindo que, no caso do concelho, “existe uma mudança estrutural do turismo”, que era, essencialmente, de “passagem”.
Valter Correia salientou que, “agora, começa a ver-se uma mudança apreciável no número de pessoas que pernoita”, situação que, no seu entender, se deve a fatores como a floresta Laurissilva, classificada como património mundial natural pela Unesco e outro dos postais turísticos do concelho.
Noutro concelho da ilha, na Ponta do Sol, o concessionário do complexo balnear da marina do Lugar de Baixo também nota maior número de veraneantes.
“Algumas pessoas dizem que iam para o Algarve, Porto Santo ou Canárias, mas porque não têm dinheiro ficam por cá”, contou à Lusa Carlos Lucas, explicando que, ao fim-de-semana, chegam a entrar nas três piscinas de água salgada do complexo meio milhar de pessoas.
Entretanto, dados disponibilizados pela empresa municipal Frente Mar relativos à Ponta Gorda e Barreirinha, dois dos complexos balneares do Funchal, dão conta que entre junho e 12 de agosto 83.115 pessoas foram a banhos nestes locais, quando no mesmo período de 2011 esse número foi superior em quase quatro mil.

fonte:http://online.jornaldamadeira.pt/

publicado por adm às 23:09 | comentar | favorito