Braga: piscinas olímpicas dão lugar a hotel e parque aquático

A Câmara Municipal de Braga já tem acordo com um parceiro privado para concretizar a reconversão do projecto das piscinas olímpicas num parque aquático de diversões. O acordo contempla ainda a edificação de um hotel no Parque Norte, junto ao Estádio Municipal.
A revelação foi feita ontem pelo presidente da câmara, depois de os vereadores da oposição terem acusado a maioria socialista de estar a negociar “por baixo da mesa” com um parceiro privado.

Sem adiantar pormenores sobre o conteúdo do protocolo que já está assinado, Mesquita Machado referiu apenas que o acordo pressupõe que o parceiro privado satisfaça “determinadas condições”, condições essas que o edil não quis especificar. 
“Logo que essas condições estejam satisfeitas avançamos com a aprovação e divulgação do projecto e sobre as negociações feitas”, referiu o edil, na habitual conferência de imprensa após a reunião de câmara.
O tema foi trazido a público por Ricardo Rio que esperava que o assunto tivesse sido introduzido na agenda de reunião de câmara de ontem. “António Braga chamou os líderes das bancadas no sentido de lhes pedir para introduzir um ponto extraordinário na agenda da próxima sessão da Assembleia Municipal (que se realiza esta noite, no PEB), dando apenas nota de que esse ponto diria respeito a uma proposta relativa às piscinas olímpicas que o presidente da câmara pretendia incluir na agenda desta reunião do executivo”, relatou Ricardo Rio.

Os partidos da oposição rejeitaram o apelo de António Braga com o argumento de que está já agendada para breve (12 de Outubro) uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal para debater a questão da reorganização da administração local. 
Como Mesquita Machado não apresentou ontem qualquer proposta sobre o assunto em sede de reunião de executivo, o líder da Coligação ‘Juntos por Braga’ resolveu tornar público o assunto para denunciar que a câmara está a estabelecer uma parceria “debaixo da mesa, sem qualquer debate público, sobre um assunto sério, um projecto no qual já foram investidos mais de oito milhões de euros”.,
Em resposta, Mesquita Machado recusou a acusação de que o processo está a ser negociado em segredo e lembrou que “é público o interesse da câmara em encontrar um parceiro privado” que aposte na reconversão do projecto das piscinas olímpicas, deixado cair por falta de financiamento comunitário. Mesquita Machado acusou mesmo a Coligação de estar a tentar fazer com que “o problema não se resolva”.

“O que a oposição quer é que não se faça nada”, acusou o presidente da câmara, revelando que se predispôs a entregar a Ricardo Rio uma cópia do protocolo já assinado com o compromisso que não fosse divulgado o seu conteúdo. “Eles não aceitaram o que diz bem das suas intenções. A missão da Coligação é lançar obstáculos para que os problemas não se resolvam”, rematou.
Questionado sobre se esta projecto poderá cumprir a promessa de promover no concelho um equipamento que supere a deslocalização da Bracalândia, Mesquita Machado assumiu que este projecto, a concretizar-se, poderá ser essa alternativa.

fonte:http://www.correiodominho.com/

publicado por adm às 20:32 | comentar | favorito
tags: