PS/Porto contra encerramento "inadequado" de piscina de Campanhã

O PS/Porto manifestou-se este sábado contra o eventual encerramento da piscina de Campanhã por parte da autarquia, considerando-o "completamente inadequado" e defendendo que na cidade "há carência de piscinas".

"No Porto há carência de piscinas de uso público na cidade. Tem cinco piscinas de utilização pública para um pouco mais de 200 mil habitantes e se compararmos com os municípios limítrofes, em todos existem mais equipamentos deste tipo", afirmou à Lusa Manuel Pizarro, presidente da Comissão Política Concelhia do PS que este sábado de manhã acompanhou uma visita de vereadores socialistas à piscina de Campanhã.

A finalidade, disse, foi "explicar de forma mais pormenorizada as razões que levam" o PS a opor-se "radicalmente à ideia que a câmara apresentou de forma muito pouco sustentada de promover o eventual encerramento da piscina".

O socialista contou à Lusa que a autarquia invocou que a piscina em causa "tem um défice de exploração de cerca de 250 mil euros por ano e precisará agora de um investimento significativo, de cerca de 1,3 milhões de euros, na sua manutenção".

"Tenho a expectativa que um equipamento desta importância possa ter algum défice de exploração sem que isso signifique nada de muito grave para a câmara municipal", uma vez que "tem de se aceitar a remuneração da função social da piscina", salientou.

Acrescentou que "o investimento que é necessário fazer na recuperação infraestrutural da piscina melhorará as condições da sua operação".

Para Manuel Pizarro "se a cidade se vir privada desta piscina, há um vasto conjunto de milhares de crianças, jovens e outros cidadãos que vão deixar de ter condições para ter acesso à aprendizagem da prática da natação".

Justificou ainda que aquela piscina "é a única com dimensões olímpicas que existe na cidade" pelo que se for encerrada "há um conjunto de competições de natureza desportiva que deixam de se poder realizar no Porto e um conjunto de clubes que deixam de ter condições para treinar os seus atletas".

Lembrou por fim que "esta piscina está localizada na zona socialmente mais deprimida da cidade", na zona oriental, pelo que "não faz sentido nenhum que sendo reconhecido por todos, incluindo pela câmara, que existem graves assimetrias na cidade em desfavor daquela zona, se imagine encerrar um equipamento desta importância".

"Julgamos que é completamente inadequado o encerramento desta piscina", sublinhou.

Quanto ao investimento necessário fazer, salientou que "o que está em causa é fazer opções", frisando que "o PS não tem nada contra a realização das corridas de automóveis" mas que "parece paradoxal é que seja possível a câmara gastar um milhão de euros com a realização das corridas e não seja possível gastar 1,4 milhões de euros para recuperar uma piscina com a importância como a de Campanhã".

fonte:http://www.jn.pt/p

publicado por adm às 18:23 | comentar | favorito
tags: