22
Jan 11

Piscinas Municipais – Vila Praia de Âncora promovem Aqua Open Day

As Piscinas Municipais - Vila Praia de Âncora vão promover mais uma sessão do 'Aqua Open Day' já no próximo sábado, dia 22 de Janeiro, a partir das 16 horas.

Dar a conhecer gratuitamente as modalidades que as Piscinas Municipais - Vila Praia de Âncora têm à disposição dos utentes, designadamente as classes de Hidroginástica Master Class, Hidrobike, Deep-Water, Hidrobike+ e Hidropower, é o objectivo desta iniciativa.

Assim, entre as 16h a as 18h, as Piscinas Municipais - Vila Praia de Âncora estão abertas gratuitamente para a população poder experimentar todas as classes, designadamente Hidroginástica Master Class, Hidrobike, Deep-Water, Hidrobike+ e Hidropower, que serão acompanhadas por técnicos das Piscinas. O 'Aqua Open Day' inclui ainda jogos aquáticos e lúdicos para bebés e crianças.

Tal como aconteceu no primeiro 'Aqua Open Day', também este traz regalias. Assim, os potenciais novos utentes que se inscreverem nas modalidades supra citadas até ao próximo dia 31 de Janeiro não pagarão a inscrição inicial e os utentes que levarem um amigo também passarão a beneficiar de um desconto.

No dia 19 de Março, as Piscinas Municipais - Vila Praia de Âncora voltarão a estar abertas à população para mais um 'Aqua Open Day'.

fonte:http://www.cm-caminha.pt/

publicado por adm às 14:10 | comentar | favorito
22
Jan 11

Piscinas Municipais de Albufeira vão ter um novo horário de funcionamento ao fim-de-semana, já a partir de sábado.

A partir amanhã, 22 de Janeiro, as Piscinas Municipais de Albufeira passam a funcionar com um novo horário ao fim-de-semana.

Este equipamento desportivo vai estar aberto ao público ao sábado, das 9h00 às 14h00, e passa a encerrar ao domingo.

Durante a semana, o horário mantém-se das 9h00 às 14h00 e das 15h00 às 21h00.

Horário:

2.ª a 6.ª feira: 9h00 às 14h00 / 15h00 às 21h00

Sábados: 9h00 às 14h00

Domingos: encerrado

publicado por adm às 14:09 | comentar | favorito
16
Jan 11
16
Jan 11

O sucesso do fitness na água

 

Satisfazer o desejo dos alunos por novidades é o maior desafio das academias de fitness no começo do verão. Essa necessidade inaugurou um curioso filão – levar para dentro da água as atividades praticadas em solo. Num primeiro momento, os especialistas ajustaram às piscinas as aulas de bicicleta, step (subir e descer degraus), body jump (minicama elástica), ioga e corrida. Deu certo e, agora, mais modalidades estão ganhando versões aquáticas. Na Bahia, é cada vez mais popular a hidrocapoeira. “Selecionamos os movimentos mais amplos da capoeira para adaptá-la à água. As pessoas adoram”, diz o professor de educação física João Magalhães, da Academia Foca’s, de Salvador. O Pilates também ganhou a sua variação molhada. Andréa Melo, de Juiz de Fora (MG), estudou oito anos para transpor os exercícios com mola e plataforma característicos da atividade para a piscina. “Há mais diferenças: a temperatura da água, por exemplo, tem que ser mais aquecida para facilitar o trabalho muscular”, diz Andréa, autora do livro “Método Pilates na Água”.

 

Até o kick boxing, definido como luta marcial e também esporte de combate, foi adequado à piscina. “Dá para fazer o trabalho de força e o aeróbico, mas sem suar”, diz a advogada Maria Lúcia Camacho, 54 anos, praticante da atividade na Runner, em São Paulo. Para a sua colega de aula, a socióloga Yara Pinto, 60 anos, mais do que um exercício físico, praticar atividades aquáticas é uma espécie de terapia. “Faço por prazer", diz.

O poder relaxante da água também é explorado pelas academias. Um exemplo é o acqua zen, oferecido pela Fórmula, em São Paulo. Em sessões de dez minutos, o aluno fica suspenso sobre boias, enquanto faz movimentos e recebe massagens. “Essa pausa serve para descansar os músculos e a cabeça depois da natação”, diz a publicitária Sylvia Hartmann, 30 anos.

 

Não faltam explicações científicas para o sucesso das modalidades na água. Uma delas é o fato de a piscina ser um ambiente refrescante, pois a transferência de calor do corpo humano é 25 vezes maior na água do que em solo. O bem-estar é ainda maior porque nos sentimos mais leves quando submersos. “Com água à altura dos ombros, temos uma perda aparente de 90% de nossa massa corporal”, afirma Giovana Mazo, do Centro de Saúde do Esporte da Universidade Estadual de Santa Catarina. O resultado dessa mudança é a redução do impacto sobre as articulações, razão pela qual os movimentos sincopados dentro da piscina ganharam a preferência dos idosos, e mais recentemente, dos obesos.



Mais uma vantagem é a pressão exercida pela água. “Ela promove uma melhora significativa na circulação sanguínea”, garante Jomar Souza, da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Coração e pulmão, por exemplo, ficam mais irrigados – só neste último órgão, o volume de sangue pode dobrar e a saída de oxigênio para a corrente sanguínea é facilitada. Mais oxigênio no sangue permite fazer o exercício com a mesma intensidade e menos sofrimento. Novas pesquisas também estão mostrando que, ao contrário do que se pensava, a hidroginástica pode servir para emagrecer. Segundo o pesquisador Luiz Fernando Kruel, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, para que isso ocorra é necessário aumentar a amplitude e o ritmo dos movimentos. Sua conclusão está baseada em um estudo feito com 23 mulheres durante a prática de atividades aquáticas. “Se a pessoa fica parada e faz movimentos curtos, o gasto é maior em solo”, analisa. “Mas se faz exercício com grandes áreas projetadas, ou seja, abre e fecha braços, estica as pernas, queima mais calorias dentro da água”, ensina Kruel. Hora de preparar sua touquinha.

fonte:http://www.expressomt.com.br

publicado por adm às 18:13 | comentar | favorito
12
Jan 11

Autarquia encerra piscinas para poupar

Menos de dois anos após terem sido inauguradas, as piscinas municipais cobertas de Freixo de Espada à Cinta estão de portas fechadas. Motivo: poupar dinheiro em tempo de crise, por parte da Câmara Municipal. Em média, 70 utilizadores diários, sobretudo crianças e idosos, ficam, assim, privados de fazer natação. O Agrupamento de Escolas não gostou da medida, que a autarquia classifica como "necessária".

 

As piscinas cobertas vão estar fechadas, pelo menos, até ao próximo mês de Abril. Esta medida drástica, tomada pelo executivo devido à necessidade de "fortes restrições orçamentais", já consta em edital. Assim, quatro mil habitantes ficam sem poder usufruir do equipamento que custou dois milhões de euros.

O complexo contava com uma média diária de 70 utilizadores, na maioria crianças e idosos, que frequentavam aulas de natação e hidroginástica e que agora ficam sem a valência. O encerramento das piscinas aconteceu segunda-feira e a autarquia espera poupar 12 mil euros por mês em custos de manutenção. O edifício está equipado com painéis solares, o que reduz os custos energéticos, mas, segundo o presidente da câmara, José Santos, adiantou ao CM, nos meses de Inverno a produção é escassa, "o que eleva em muito os custos com a electricidade e o aquecimento a gás". Apesar do fecho temporário, o autarca garante que nenhum funcionário será despedido. "Só deixam de receber horas extraordinárias", explica. O autarca José Santos admitiu que foi uma medida "difícil" de tomar, mas "necessária".

A decisão não foi bem acolhida na vila, principalmente no agrupamento de escolas do concelho. "A natação era tida como principal modalidade na área de desporto escolar e, agora, mais de 300 alunos ficam privados das piscinas. É uma situação lamentável para todos", comenta o professor Artur Parra, do Agrupamento Vertical de Escolas de Freixo de Espada à Cinta.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/

publicado por adm às 22:25 | comentar | favorito
12
Jan 11

Dicas para manter as piscinas limpas e bem cuidadas

Tudo bem que a chuva anda atrapalhando a vida dos banhistas neste comecinho de verão. Mesmo assim, a estação promete muito sol e calor até março, o que deixa muitos cariocas ansiosos pelos banhos de piscina.

Nos condomínios e residências, com a promessa de grande fluxo de pessoas nesses espaços, é fundamental que a manutenção seja rigorosa. Antes mesmo de limpar e tratar a água, é preciso verificar se motorbombasistema de filtragemestão em bom funcionamento. Se não estiver tudo certo com esses equipamentos, a aplicação dos produtos para o tratamento da água não vai surtir o efeito desejado, o que pode causar doenças, principalmente de pele.

O primeiro passo é fazer os testes de PH, que mede a acidez da água (o resultado deve estar entre 7.0 e 7.4); de alcalinidade (entre 1.0 e 3.0 ppm, isto é, partes por milhão); e de granulação de cloro (entre 80 e 120 ppm). A verificação pode ser feita pelo próprio morador ou por um funcionário, no caso de edifícios.

- No verão, a medição de PH, alcalinidade e cloro deve ser feita diariamente em edifícios e semanalmente em residências. Nas outrasestações, a verificação pode ser reduzida pela metade – explica o técnico em tratamento de água da hth, Fábio Forlenza, conhecido como Dr. Piscina.

Uma forma simples de testar a água a ser tratada é colocá-la num balde, adicionar uma colher de sopa de cloro granulado e aguardar uma hora. Caso haja reação química, ou seja, se a água escurecer, significa que ela possui um alto nível de metais e será necessário tratá-la antes de realizar qualquer outro tipo de procedimento.

Além do tratamento químico da água, a manutenção física é igualmente importante. Durante o verão, apeneiração pode ser feita todos os dias. Nela é retirada a sujeira grossa que, normalmente, fica em suspensão, como insetos, folhas, cabelos, restos de comida e outros pequenos objetos. A aspiração deve ser feita a cada dois dias e a escovação, de 15 em 15 dias. Nas demais estações, esses procedimentos podem ser feitos quando necessário.

Os bronzeadores e protetores, considerados vilões do bom visual da água, podem ter seus efeitos atenuados com eliminadores de oleosidades, encontrados em lojas especializadas. Outra questão que vai do bom senso de cada morador é não utilizar a piscina em caso de doença de pele ou outrasinfecções transmissíveis pela água. Nos condomínios, é essencial que se exija o atestado médicoatualizado.

Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário realizar a troca da água das piscinas.

- Trocar só porque alguém acha que a água está há muito tempo na piscina não justifica, é desperdício. Ao longo de um ano, apenas com o movimento natural das pessoas na piscina e da manutenção, toda a água vai sendo renovada gradativamente. Como a água evapora, os banhistas saem molhados ou jogam gotas para fora, a piscina vai perdendo água, que é reposta toda semana para se manter o nível – explica o técnico da hth.

fonte:sindicotv

publicado por adm às 21:21 | comentar | favorito
09
Jan 11
09
Jan 11

Piscinas de Silves com serviço personalizado de exercício

O Complexo Desportivo das Piscinas Municipais de Silves abriu esta semana o seu mais recente serviço: o Gabinete de Avaliação do Perfil de Saúde e da Atividade Física (GAF). Com este serviço, a autarquia pretende disponibilizar aos seus munícipes a possibilidade de terem aconselhamento sobre o tipo de exercício físico que devem fazer de acordo com a condição de saúde e os objetivos a que cada utente se propõe.
Em comunicado, a autarquia explica que se trata de “um apoio direto e personalizado de avaliação física, prescrição de exercício e controlo de objetivos”. O serviço está disponível “não só , a todos aqueles que pretendam mudar o seu estilo de vida e se iniciem na prática de exercício físico mas, também, a quem já tenha hábitos desportivos ou de atividade física”.
Para já, foram concebidos quatro pacotes de serviços, um de avaliação normal, outro que inclui duas sessões e que é designado por “Avaliação Gold”, um pacote para controlo de peso e um para a avaliação sénior funcional. Mais informações podem ser solicitadas através dos seguintes contactos: 282440270 ou piscinas@cm-silves.pt.

fonte:http://www.jornaldoalgarve.pt/

publicado por adm às 17:59 | comentar | favorito