29
Ago 12
29
Ago 12

Piscinas naturais em esplendor vulcânico

As piscinas naturais de Porto Moniz são uma das principais atracções turísticas da ilha da Madeira. Uma beleza vulcânica que, graças ao clima madeirense, mantém as piscinas abertas todo o ano.

Localizadas no município de Porto Moniz, na costa norte da Madeira, estas piscinas enchem-se de visitantes que por ali passam para dar uns mergulhos ou apenas para desfrutarem das vistas privilegiadas. “Ronda as 70 mil entradas apenas durante este mês de Agosto”, confirma Nélio Rodrigues, Chefe de Gabinete da Câmara Municipal de Porto Moniz. Um número que mais que duplica as entradas registadas no mesmo período em 2011.

O complexo foi recentemente remodelado para melhorar as condições e acessos mas as piscinas, interligadas e guardadas por rocha vulcânica, mantiveram a sua estrutura intocada, descartando o risco de perder a natureza que a caracteriza. No total, dispõem de 3800 metros quadrados de área de natação e 3217 metros quadrados de área de solários. “No que respeita à relação qualidade-preço, este complexo balnear não tem paralelo na região”, sublinha Rodrigues.

As águas do complexo, juntamente com o mar envolvente, foram galardoadas com a Bandeira Azul pelo segundo ano consecutivo. A classificação junta à beleza natural das piscinas a garantia da qualidade.

Uma das mais-valias do complexo é a possiblidade de fazer baptismos de mergulho. O espaço tem um centro de mergulho que oferece também a possibilidade de mergulhar no mar a “quem estiver devidamente habilitado”.

Durante o Inverno, as piscinas contam com o apoio de apenas um nadador salvador mas na época de Verão, a equipa aumenta para três. Entre Junho e Setembro, o complexo dispõe de um bar que serve algumas refeições. Podem ainda alugar-se espreguiçadeiras e guarda-sóis no local.

As piscinas, a cerca de 75km do Funchal, estão abertas durante todo o ano das 9h às 17h (horário de Inverno) e das 9h às 19h (horário de Verão). A entrada custa 1,50€ a partir dos 3 anos e há descontos para portadores do cartão de munícipe, estudante, cartão 65 e deficientes com um grau igual ou superior a 60%.

fonte:http://fugas.publico.pt/V

publicado por adm às 00:07 | comentar | favorito
14
Ago 12
14
Ago 12

Piscinas naturais do Porto Moniz com o dobro da afluência do ano passado

As piscinas naturais do Porto Moniz, no norte da ilha da Madeira, registaram até domingo 72.265 entradas, o dobro do ano passado, disse o presidente do município, justificando o número com a “maior afluência de turistas” ao concelho.
“Em 2011, até 31 de agosto tivemos 35.993 entradas, enquanto este ano, até domingo último, registámos 72.265 entradas, o que é mais do dobro do ano passado”, revelou Valter Correia, adiantando que o crescimento “dilui-se” em todos os meses do ano.
Segundo Valter Correia, os dados encontram explicação nos turistas que escolhem o concelho, destacando, neste caso, os estrangeiros, sobretudo franceses, e os madeirenses.
“O que nos dizem os operadores é que há menos nacionais”, declarou o autarca, realçando que o município manteve o preço de acesso às piscinas naturais, um dos cartões-de-visita do concelho, no valor de 1,5 euros para adultos.
Por outro lado, o responsável acredita que um dos fatores que tem contribuído para o aumento se prende com as condições meteorológicas.
“Não há memória de termos um ano tão soalheiro como este”, apontou Valter Correia, assinalando, ainda, que o complexo balnear ostenta a Bandeira Azul e é considerada pela associação ambientalista Quercus praia com qualidade de ouro.
O presidente do município destacou, igualmente, o facto de ter acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida.
“As piscinas naturais são, por ventura, na Europa, o complexo balnear com melhor relação preço/qualidade”, continuou o autarca, acreditando que o concelho, com cerca de 3.000 habitantes, está a ganhar com a crise e com a constatação de que os madeirenses “estão a fazer férias cá dentro”.
“Estou convencido de que esta situação está a obrigar os madeirenses a descobrir a Madeira”, declarou o presidente da autarquia, referindo que, no caso do concelho, “existe uma mudança estrutural do turismo”, que era, essencialmente, de “passagem”.
Valter Correia salientou que, “agora, começa a ver-se uma mudança apreciável no número de pessoas que pernoita”, situação que, no seu entender, se deve a fatores como a floresta Laurissilva, classificada como património mundial natural pela Unesco e outro dos postais turísticos do concelho.
Noutro concelho da ilha, na Ponta do Sol, o concessionário do complexo balnear da marina do Lugar de Baixo também nota maior número de veraneantes.
“Algumas pessoas dizem que iam para o Algarve, Porto Santo ou Canárias, mas porque não têm dinheiro ficam por cá”, contou à Lusa Carlos Lucas, explicando que, ao fim-de-semana, chegam a entrar nas três piscinas de água salgada do complexo meio milhar de pessoas.
Entretanto, dados disponibilizados pela empresa municipal Frente Mar relativos à Ponta Gorda e Barreirinha, dois dos complexos balneares do Funchal, dão conta que entre junho e 12 de agosto 83.115 pessoas foram a banhos nestes locais, quando no mesmo período de 2011 esse número foi superior em quase quatro mil.

fonte:http://online.jornaldamadeira.pt/

publicado por adm às 23:09 | comentar | favorito